Deixe a pressa de lado para errar menos

A pressa é inimiga da perfeição. Aprenda a fazer as coisas com calma e atenção para errar menos

Conteúdo do site
Vida Simples

A velocidade é o novo padrão de comportamento adotado por quem deseja ter sucesso, ser aceito pela sociedade. Mas nada melhor do que um pouco de lucidez para não ser simplesmente sugada pelo sistema. Que tal entender bem o que se passa antes de entrar nesse jogo e simplesmente ser consumido, sem mesmo se dar conta de que podemos agir no mundo de maneira diferente?

Focos de resistência

Alguém muito lúcido propôs, no final dos anos 80, um movimento em sentido contrário à velocidade latente. Foi fundado na Itália, levado para a França e depois para o resto da Europa, o movimento conhecido pelo nome de Slow Food, que significa literalmente “comida lenta”, em um evidente contraponto ao “fast food”.

Hoje, a Slow Food International Association (www.slowfood.com) espalha suas idéias pelo mundo. O movimento, que usa como símbolo um caracol, prega que as pessoas devem voltar a comer e beber devagar, dando-se tempo para saborear os alimentos, transformando a refeição em um momento de encontro e a paz. Acompanhar o preparo do alimento, interagir com a família, sem pressa e com satisfação, essa é a idéia.

O Slow Food está servindo de base para um movimento maior, inicialmente chamado Slow Europe. Sua idéia é questionar a pressa do mundo, a loucura na sociedade imposta pela globalização e pela velocidade da informação proporcionada pela Internet.

Aliança com o tempo

“Pense antes de fazer, planeje seu trabalho, organize-se, e só então faça”, dizia o engenheiro americano Frederick Taylor, no início do século 20, quando criou as bases da administração moderna.

Mas o que fazemos nós? Corremos diante da necessidade de fazer mais com menos, em lugar de planejar, aprimorar a técnica, e só então fazer, rápido, mas sem pressa, saboreando cada momento como único.

A versão européia da revista americana de negócios Business Week publicou uma pesquisa que mostra que os franceses trabalham menos horas, mas são mais produtivos que seus colegas americanos e ingleses. Essa atitude sem pressa não diminui a produtividade e ainda aumenta a qualidade. Evita o risco, a insatisfação e a necessidade de refazer o trabalho.

Um jeito sábio de ser

Ter uma atitude sem pressa significa colocar mais atenção no que se faz, dedicando tempo ao que o mundo moderno está relegando a um plano secundário: a família, os amigos, o lazer, o tempo livre para simplesmente viver. O resultado é um indivíduo menos estressado e neurótico, mais leve, mais feliz e, por isso mesmo, mais produtivo.

A velocidade é precisa, a pressa é bastante imprudente. Quando o poeta Fernando Pessoa disse “navegar é preciso, viver não é preciso”, ele se referia à precisão, ao planejamento, necessários à navegação e não ao verbo precisar, sinônimo de necessitar.

*Eugenio Mussak é educador e escritor
Acesse: www.sapiensapiens.com.br

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>